Feliz Natal!!!

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

O mostro das mil lamparinas



Ao longe o menino escuta a voz aflita da mãe, que agoniada está a botar as vasilhas para dentro de casa juntamente com seus irmãos, ele que estava a brincar no terreiro com seu disco voador, prestes a decolar rumo a lua é obrigado a deixar a aventura para outra hora.

Ainda tinha sol, mas, o vento forte, sem nenhuma cerimônia, chega feito uma nave espacial devastando o que encontrava em seu caminho. Aquele vendaval entra em sua casa revirando tudo que é leve, tudo que está solto, causando arrepios e frios na barriga. O olhar aflito de sua mãe procura a janela mais próxima, avista a distância seu pai vindo do curral segurando seu chapéu de palha com a blusa rasgada ao vento, ele apressa os passos ao olhar para o céu sob a expressão de espanto de sua mãe.

Papai sussurra baixinho: “Como temíamos o tempo tá ai, tá se formando, tá bonito, tá pesado... ” O vento forte era o fiel mensageiro que nunca falhava, em poucos instantes o sol era esmagado por aquelas nuvens escuras no céu. “Como meu disco voador vai pra Lua agora?!”, pensava o menino.

“O tempo fechou!!! Menino da cá um pau. ” E a correria dentro de casa começou, a mãe fechava as portas e janelas mais altas com o pai, os irmãos armavam as redes e cada um pegava coisas para perto de si, um lençol, uma toalha, as alpargatas, um terço, uma imagem, um brinquedo.

As carreiras a mãe na beira do fogão de lenha se agoniava para terminar a comida, era tanto medo em cada canto da casa que não se sentia fome. Depois de engolir o angu de torresmo o menino só observava com o olhar assombrado o assombro dos pais, não entendia o que se passava mais sentia aquele temor tomar conta dele também, pálido e choroso, se enchia de medo e angústia. 

O reboliço na casa continuava, os pais e os irmãos pareciam tudo entender, em sintonia trabalhavam para o mesmo fim. Em poucos instantes todas as redes estavam armadas e todos deitados a se encolher, como se estivessem a se esconder de algo muito perigoso.   

O Menino de olhos arregalados, com suas mãozinhas, puxava a beirada da rede e arriscava olhar a sua volta. A casa toda fechada, iluminada por uma tímida lamparina que lutava bravamente com o vento para permanecer iluminando. Bacias e panelas espalhadas pelo meio da casa e nos pés das portas, e nas janelas mais panelas, embaixo da rede do pai uma lamparina apagada, e uma caixa de fósforo em cima de suas alpargatas, embaixo da rede da mãe uma jarra de louça com água e copos de porcelana, embaixo da rede do menino uma bacia, mas, essa já era companheira pois ele ainda fazia xixi na rede, mais adiante uma lata que era usada como urinol pelos mais velhos. Ao voltar sua atenção para as outras redes percebeu que estavam todos quietos de olhos arregalados como a esperar por algo.

O menino que nada ainda entendia se sufocava com o medo do medo que nem sequer ele sabia do que era. Lá fora a chuva parecia estar em festa: Quanto mais chovia, mais tinha chuva para chover. Cá dentro não estava diferente, a chuva caia dentro das panelas e bacias como se adivinhasse onde elas estavam e os respingos nas redes rendiam mais frio e medo. No fogão à lenha nem fumaça tinha mais, e nessas horas a pobre lamparina mostrava toda a sua bravura e coragem: Permanecia acesa mesmo com a chuva, que parecia de prata vista sobe sua luz, pelos olhos grandes e arregalados do Menino, que só queria entender o que se passava.

O inocente, apesar do medo, em tudo via beleza. Buscava em seus sentidos o motivo de tanto temor e só via encantamento, a chuva para ele era um verdadeiro espetáculo de belíssimo som, sensações e cores. Ele a tudo admirava, e por instantes esquecia de sentir medo também.

Passou-se um tempo e a chuva só aumentava, caindo em abundância. De repente, soluços, alguém chorava baixinho, a voz embargada da mãe começou a rezar. O coração do menino palpitava parecendo querer sair pela boca, suas tripas doíam de medo, a situação só piorava por nada saber e tudo criar, em sua inocente imaginação, ele pensava que existiam monstros e alienígenas que destruíam casas na chuva. Antes de criar as características do mostro destruidor, o Menino é surpreendido por um barulho estrondoso e ensurdecedor, desorientado, ele não sabia ao certo de onde vinha, quando, por segundos, ficou cego com uma claridade intensa que mais parecia mil lamparinas.

O Menino não teve mais dúvidas: O mostro da chuva, o devorador de famílias tinha chegado e estava muito zangado. Teria ele olhos de fogo e estava a queimar, com o fogo que queima água, todo o seu interior. A viagem para a Lua estava mais próxima do que ele imaginava. Em desespero o Menino começou a gritar, o irmão mais próximo pegou ele nos braços e pulou dentro da rede da mãe onde já estavam seu pai e os outros irmãos. Sua mãe tremula estava a rezar um rosário, e todos lhe acompanhavam. Entre seus irmãos, o Menino disputava o colo de sua mãe, pouco a pouco ia se aninhando feliz, e ali ficou até adormecer, na certeza que acordaria na Lua, certamente na barriga do mostro das mil lamparinas. Uma coisa lhe confortava: Estaria lá protegido com sua família. 
AnnaLirios



❤Abraços ❤
❤Paz e Luz!!!✿
✿Anna Lírios✿

26 comentários:

  1. Lindo interessante, nos prende até o fim! beijos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Chica, boa tarde!!!
      Que bom que você gostou, fico feliz. Essa era a realidade do meu interior, vivi muitas noites de medo quando eu era criança, até hoje não gosto de trovoadas.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  2. Tarde feliz minha querida amiga... É bom demais ler o que escreve... Grata por compartilhar pensamentos e sentimentos conosco... O mundo carece de coisas boas... Espalhemos, então, o que há de melhor em nós... Parabéns querida... Feliz viver... Repleto de tudo que lhe faz bem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Amiga Aline!!!
      Como é bom saber que você gostou. Realmente devemos tentar sempre espalhar coisas boas.
      Muito contente com sua visita. Obrigada pelo carinho, igualmente te desejo tudo de bom, muita paz e luz em sua caminhada.
      Um forte abraço!!!

      Excluir
  3. Olá Anna, vim agradecer sua visita e por seguir um dos meus cantinhos. Fiquei muito agradecida e feliz. Obrigada!
    Amiga naveguei em seu blog e li algumas postagens. Escreves muito bem e consegues prender a atenção do leitor com prazer porque seus contos, suas histórias são maravilhosas! Parabéns, sucesso no seu blog. Já estou seguindo e com certeza, voltarei mais vezes. Abraços, tenha uma noite de paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Lourdes!!!
      Muito obrigada por sua visita, fico feliz que tenha gostado do meu cantinho.
      Volte sempre que poder, seja bem vinda. Obrigada pelo carinho.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  4. Olá, Anna!
    Uma bela história, que me fez lembrar de minhas leituras da adolescência ("A viagem para a Lua estava mais próxima do que ele imaginava." Parabéns,
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Pedro!!!
      Fico contente por você ter gostado. Esse história faz parte da minha vida, vivi essa realidades quando eu era criança.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  5. Muito bom. Anna. Tu tens o dom da escrita e sabes contar uma boa estória. Abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um ótimo dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Dilmar!!!
      Seja bem vindo e obrigada por comentar.
      Fico feliz por você ter gostado, essa história retrata a minha realidade na infância.
      Um abraço daqui do Nordeste do Brasil.
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  6. Olá Anna, seu texto reconduziu-me à minha infância na zona rural, tudo igual à casa do meu pai, voltei no tempo e adorei seu lindo relato. O Gilmar falou e eu endosso, tens mesmo o dom da palavra. Aplausos!
    Obrigada por ir até minha página. Estou seguindo seu blog.
    Paz e Bem!
    Bjss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Diná!!!
      Seja bem vida e volte sempre. Muito obrigada por suas palavras, fico feliz em saber que você gostou. Essa história também fez parte de minha vida. Com o tempo nos conheceremos melhor.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  7. Agradeço a sua visita ao meu blog . Gostei da forma que escreves.Uma história que me prendeu até o seu fina.Já estou, também lhe seguindo.
    Um abraço. Élys.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Élys!!!
      Seja bem vindo e volte sempre. Que bom que você gostou, fico contente.
      Espero as pouco nos conhecermos melhor.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  8. Anna,querida e nova amiga.

    Como escreve bem! Escrever um conto é muito difícil e esse nos prende a atenção até o final.

    Já a sigo também.Aqui e no Google+.

    Vou colocar seu blog na minha lista de "Blogs a Visitar",à direita do meu,com seu nome,para receber suas atualizações.
    Assim,voltarei sempre que tiver novos posts,pois saberei.Adorei vc comentar mais de um post.Amei seu espaço!

    Obrigada pela visita,elogiosos comentários e volte sempre.

    Beijos sabor carinho e uma noite de quarta_feira de paz e bênçãos

    Donetzka


    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Donetzka!!!
      Seja bem vinda e volte sempre.
      Obrigada pela visita por te comentado e por me seguir.
      Fico feliz que tenha gostado do meu blog, também gostei muito do seu. As poucos vamos nos conhecendo mais. Também botei seu blog em minha lita de blogs, assim entraremos em contato com mais frequência.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  9. Minha lista de Blogs a visitar é como sua lista de blogs.

    Pode colocar o meu na sua se quiser também.
    Sigo vc no Instagram,twiitter e curti sua página no facebook.

    Beijos

    Donetzka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por me seguir em minhas redes sociais, também estou lhe seguindo. Sim já botei seu blog em minha lista de blog, assim todos que me visitarem podem também lhe visitar.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  10. Solicitei amizade no facebook também. agora a sigo em todas as redes sociais que tenho.

    Linda noite

    Beijos

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, também estou lhe seguindo. As poucos nos conheceremos mais.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  11. Lindo,Anna. Amiga.Nem consegui comentar seu último post porque o retângulo do comentário também estava com erro,assim como seus seguidores.
    Seus seguidores também não aparecem.Com o mesmo erro que no meu!

    E pensei que fosse só comigo.Muitos que visitei estão assim.

    E o google nada resolve!

    Beijos sabor carinho e um sábado de bênçãos

    Donetzka

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, Donetzka!!!
    Ontem vi que estava assim, tentei concertar mais nada consegui. Vou espera, se Deus quiser teremos nossos blogs normais em breve. Também vi em outros blogs a mesma coisa.
    Um abraço!!!
    Paz e Luz!!!

    ResponderExcluir
  13. Sua história é o máximo! Adorei o seu monstro "com olhos que queimam a água" Escritores de fantasia, como nós, temos valorizar muito nossos textos. Percebe que as editoras preferem sempre traduzir histórias de escritores estrangeiros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Fernando!!!
      Seja muito bem vindo. Obrigada por sua visita e seu comentário.
      Verdade amigo. Mas tenho fé que um dia isso mude.
      Obrigada por suas palavras de incentivo.
      Um grande Braço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  14. Respostas
    1. Boa noite, Renê!!!
      Seja muito bem vindo.
      Obrigada por sua visita e seu comentário de incentivo.
      Volte sempre.
      Um abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AnnaLírios

Obrigada por sua visita!!! Volte sempre!!! ❤ Um Abraço ❤ Paz e Luz!!!

Visualizações