sexta-feira, 29 de abril de 2016

Uma fração de segundos, um mar de sensações...

               

A vida é constituída de fragmentos, tanto ao que se referem a tempo, como em termos de sentimentos, que constrói momentos, nada se forma ou chega de uma vez, tudo há um fluir em construção, um despertar, semear, plantar, cultivar, nascer, crescer, reproduzir e renascer no grande espetáculo do espiral da vida.

Tudo de certa forma está ligado, tudo é vivo e se movimenta, e obedece uma força regente, que controla o Universo, eu diria que essa força emana de Deus.

De um momento para outro, vai acontecendo, surgindo emoções, lembranças, em um instante, segundo, imagens, cenário vão se processando e existindo, gerando percepções demasiada que nos foge o controle, o poder de dominar, agarrar, pausar e registrar.

Nem sempre valorizamos os acontecimentos, pelo o que ele está sendo no momento, mais pela perspectiva do que vai ser no futuro ou pela importância que teve no passado, ou um pouco de cada, ou todo ao mesmo tempo, somos realmente muito complexos em ser, sentir e realizar.

A imagem imperfeita que temos do valor das coisas e seus acontecimentos, das formas limitadas de eternizamos o que consideramos sublime aos nossos olhos, é o grande vilão do viver em plenitude.

 Dispara a corrida contra o tempo, a agonia em ter em mão, em guardar para si, o que não se pode tocar ou ter, como queremos, o que por si só, é livre e permanecerá livre, independentemente da nossa mesquinha vontade, tudo isso bloqueia nossos sentidos nos impedido de ver o verdadeiro sentido do momento vivido.

Nessa hora o que mais queremos, é eternizar aquilo tudo, ignoramos o bom senso, e lutamos para de alguma forma guardarmos, toma-lo para nós, queremos ser donos da situação, parar o tempo, congelar para viver do replay, mais não podemos, não como queremos.

Muitas vezes acabamos perdendo a cena, na preocupação de guardá-la para relembrar para o resto da vida, deixamos de vivenciar por completo aquele instante, nos entregando sem medo de ser feliz, aquele momento magico, vivenciando cada segundo mergulhados nos sentimentos que nos enaltece a alma, em sua completa magnitude.

Por medo de perder perdemos, por desconhecer o ser deixamos de viver, por não buscarmos conhecer o que é real, vivemos o ilusório, por valorizarmos o superficial, deixamos escapar momentos que poderíamos ter vivenciado intensamente, na certeza que, o viver, é de fato o melhor presente.

É bem verdade, que não podemos guardar os acontecimentos, com as ferramentas comuns que conhecemos, nem com a mentalidade limitada que preservamos, nutrimos, é preciso um liberta-se um elevar-se, um ver além do que estar posto, um olhar que rasga o convencional, e levanta voou para ver, assimilar a amplidão do ser, e compreender que temos o que há de melhor no cosmo, nossa memória, mente, alma, espirito.

Além de ser uma verdadeira caixa forte, para as recordações que guardamos a sete chaves, e o que temos de mais moderno, seguro e sem limites de armazenamentos, podendo ser acessado na hora e no local desejado, sem nem uma limitação, podemos viver, se assim nos desejarmos, do eterno replay ou reconstruir um projeto, criar, modificar, aperfeiçoar está sempre disponível, com uma velocidade e tecnologia sem igual, impressionante, superando os Sherlock Holmes da vida.

Nela guardamos com perfeita exatidão, movimentos, sons, cheiros e sabores, emoções, somos capazes, utilizando o pensamento, de nos levarmos a vivenciar novamente, aquele momento desejado, com todo o seu colorido e vividez, conseguimos respirar o mesmo ar, sentir na pele o vento tocar, e novamente sentindo as mesmas sensações, vivenciando de uma forma magnificamente perfeita cada suspiro cada movimento em uma perfeita integralidade, verdadeiro nirvana.

E lá estava eu, a vivenciar um instante, uma fração de segundo, que tentei sem sucesso agarra-la para mim, mais logo percebi que meu desespero era em vão, pois a minha luta não estava na direção correta, logo que percebi acionei minhas energias no caminho verdadeiro, respirei fundo, relaxei todo o meu ser, corpo e espirito, entrei em processo de vivenciar o agora, na certeza do armazenamento na integra, vivi então, intensamente aquele momento magico, que para mim tinha o valor do passado, do agora e do futuro.

Passado porque no dia anterior, meu filho havia falado da emoção dele em ver aquela cena, e sua luta em querer registrar para me mostrar, no presente porque eu estava vivenciando de forma plena, me permitindo sentir tudo que sou capaz de sentir, no futuro porque eu iria narrar para ele, com riqueza de detalhes o que vivenciei, tendo a certeza que ele muito ia se alegrar.

Segundos que voam e rápidos se vão, nos deixando em um mar de sentimentos em uma eterna contemplação, como posso expressar um sentimento, palavras nem uma parece preencher, toda a vastidão desse momento, não encontro para dizer, sinto com tanta perfeição e posso repetir em qualquer situação, nem meus olhas preciso fechar, quem manda é a vontade de estar, de volta no mesmo lugar.

  
Beija-Flor

Ele bailava em meu olhar,
Despreocupado livre a voar,
Batendo suas asinhas,
Em uma velocidade sem igual,
Pousando nas belas flores,
Sentindo seu perfume habitual,
Que belo momento,
O beija-flor inocente,
Vivendo intensamente,


Sua rotina matinal. 

Anna Lírios






***

Esse texto foi escrito inspirado em um acontecimento, considerado para mim e meu filho, como sublime, belo, encantador. O vou de um beija-flor em sua rotina diária a colher o néctar das flores. 

Confesso que eu nunca tinha visto um beija-flor tão de pertinho, parecia que ele era da família, que já nos conhecíamos de longa data, ele transmitia uma serenidade e um sentimento bom na alma, me senti feliz encantada, a forma como ele se comportava, voando bem pertinho, despreocupado,  encantador e harmonioso. Conquistou meu coração. 




Talvez você também goste de ler:

A força na natureza ali presente, reunia um misto de energias edificantes, curadoras.


Fotos e Textos de Anna Lírios.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Cultura, quem eu sou?




Nascemos, e logo tomamos conhecimento de nosso pequeno mundo familiar, aprendemos nossas primeiras palavras, nossos primeiros passos, mergulhados nos costumes, rituais, crenças e valores, aprendemos a olhar o mundo e a viver nele sobre o prisma do nosso primeiro grupo familiar.

Crescemos e entramos em contato com outras pessoas, outros lugares, e cada ser carrega um universo de vivencias, costumes e valores que vão se fundindo com os nossos, a essa altura o mundo parece ter novas cores, e pensamos está perdido, entre conflitos de cores, que parecem não acabaram mais.

Ao decorrer da vida vamos construindo e reconstruindo nossa história, nosso caminho, sem nunca perder nossa essência nossas origens.

Nossa cultura, nosso grande tesouro, nele encontramos quem fomos, porque somos, e onde podemos ir. Percebemo-nos e reconhecemo-nos, como seres em construção, e assim melhor entendemos, o nosso eu, e o outro distinto de nós. 

Anna Lírios




Foto de Anna Lírios



quarta-feira, 27 de abril de 2016

Apresentação...

Comunicados:


Escolhi esse poste para estar sempre atualizando as informações a respeito desse blog; estarei sempre acrescentando algo aqui, ou modificando, falarei das novidades, ideias, planos e comunicados em geral.

Essa é uma forma de estarmos mais perto.

Você saberá o que esperar desse blog, acompanhará as minhas expectativas e terá a oportunidade de ler minha realidade.

Sem ter dia nem hora marcada estarei acrescentando ou modificando esse poste.

De uma postagem para a outra irei separar por *** assim ficará mais organizado.

Sempre que eu acrescentar algo irei escrever abaixo desse primeiro comunicado. 



***


Sonhos!!!


Sonho desde muito tempo em escrever um livro contando a história da minha vida, desde os meus 15 anos mais ou menos que comecei a colher informações e criar rascunhos. 
Com o passar dos anos, por muitas vezes arquivei para depois e ressuscitei inúmeras vezes esses escritos, cheia de entusiasmo e esperança, porém eles nunca sairam dos quasse infinitos rascunhos.
Mais uma vez estou a trabalhar com eles.

Há uns meses atrás tive uma ideia: escrever uma estória que retratasse  uma temática parecida com o que eu almejo para o livro da história de minha vida.
Tem dado certo, estou trabalhando uma estória fictícia, como ensaio, pretendo assim que terminar as correções publicá-la aqui. Assim que eu tiver novidades sobre esse assunto eu comunico. 
Até lá postarei alguns textos meus, com temas diversos.

Espero que gostem!!!

Obrigada a todos pelas visitas!!!

Paz e Luz!!!



***


Como escrever minha autobiografia???


No inicio desse ano de 2016, quando mais uma vez a chama ardente me arrebatou de súbito, cheia de entusiasmo, me impulsionando a sonhar novamente com minha história escrita em um livro, eis que as dificuldades também chegaram.

Como tenho interesse em contar um pouco da história da minha família antes mesmo do meu nascimento, começando com o encontro dos meus pais, surgiram as dificuldades em relação a direitos autorais, pois nem todos da família concordaram em ter suas histórias expostas em um livro.

Surgiu então a ideia de criar personagens, com eles terei mais liberdade de colorir as histórias, não terei o compromisso em falar só o que aconteceu, serei livre para criar também.

A minha "autobiografia", vai fugir um pouco das regras, darei asas a minha imaginação. 

Antes de terminar o projeto da história da minha vida, estou trabalhando em uma estória que também se passa em uma cidade pequena do interior.

Essa estória está me servindo como um treino para eu poder organizar melhor minhas ideias, e poder finalmente me por em letras.

Assim que ela estiver pronta, pretendo publicar nesse blog.

Até lá estarei sempre postando alguns textos meus.

Espero que gostem, qualquer novidade eu falo aqui.

Paz e Luz a todos!!! 



*** 






Meu Universo!!!


Esse é o meu universo de sonhos e realidades,
De lembranças tantas,
Que desafiaram o tempo,
Na busca do mais distante, 
Chegam bem mais perto,
No decorrer dos tempos,
Muitas se farão presentes aqui.
Anna Lírios


     Pretendo, no desenrolar desses contos e textos, falar um pouco do passado, um pouco do presente e anseios para o futuro, o foco será a cultura em que nasci, os meus valores, minha base, o mundo que conheci, cresci e me criei, onde me tornei quem sou hoje, ao decorrer das histórias vou narrar acontecimentos soltos de lá para cá.

     Todos os personagens ganharam nomes fictícios incluindo eu com o pseudônimo Anna Carvalho Galvão Lírios.

     Esses contos são uma mistura de ficção com fatos reais embaraçados de tal forma que às vezes acho que realmente aconteceu o que não aconteceu, que vivi o que não vivi.

     Entrelaçados a esses escritos, terão alguns versos e contos feitos por mim e por personagens verdadeiros que darei os créditos aos seus nomes fictícios. Também escreverei alguns textos sei lá de que, que possa fugir à regra de contos.



***


Pequena apresentação:



     Sou Anna Carvalho Galvão Lírios, de 37 primaveras, nasci em 31 de dezembro de 1978, em uma cidade do interior do Ceará, sou a caçula de uma família de 9 filhos, meus pais Lourenço Galvão, de 80 anos e Aurora Carvalho, de 70 anos, também nascidos no interior onde moram até os dias de hoje, são lindos, casados a 55 anos, exemplo de vida, ambos vivem da agricultura, vêm de uma família de muitos devotos no Catolicismo.


     Sou casada com Estevão Lírios, de 37 anos, natural da capital do Ceará, nos casamos no dia 27 de dezembro de 2001, no cartório da consciência e na igreja do coração, temos 3 lindos filhos, Dominique de 15 anos, Samuel de 9 anos e nosso caçula Miguel de 5 anos. Sou do Lar sou estudante e ainda sonho em ter uma “profissão” quando eu “crescer”. Pretendo aqui, como já falei, contar um pouco da minha história, registrar o meu eu em palavras, me pôr em letras.

     Uma vida entrelaçada em outras vidas... Que vivi a sua vida como resultado de outras tantas vidas.


Anna Lírios


Foto e textos de autoria de Anna Lírios
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...