Feliz Natal!!!

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Almas sem roupas.

 Fotos: AnnaLírios

Nasci e me criei em costumes rígidos, a comparar com os dias de hoje, onde não se questionava a autoridade dos mais velhos, se tinha uma ingenuidade e uma fé muito grande no que era nos ensinado, diria fé verdadeiramente cega. Não se discutia, não se perguntava o porquê de nada, a fala de um adulto bastava, era assim porque era assim e pronto, sem nada a mais. Em alguns casos era considerado uma falta de respeito teimar (insistir) sobre algo, ou até pecado quando se referia as coisas de Deus.

Desde criança que o medo de ficar despida é muito forte em mim, pois apendi que era muito feio, o Papai do Céu não gostava, era um pecado, e o nosso anjo de guarda se afastava de nós, nos deixando sozinhos; isso me atormentava muito, como criança e criada na fé católica tradicional, ficar sem a proteção do anjo de guarda era o pior castigo.

Durante muitos anos até na fase adulta eu tinha pesadelos. De repente eu me acordava já no desenrolar do sonho onde eu sempre me encontrava em estado de muito constrangimento, ou dentro de um banheiro de escola, ou em um local público sempre com muitas pessoas e eu estava sem roupas tentando sair daquela situação de horror, eu não entendia o porquê dos sonhos.

Quando eu acordava eu pensava: se isso for um aviso, é só eu andar sempre com uma peça a mais; afinal as roupas cobrem nosso corpo, resolvido problema. Não sei por que o medo ainda insistia em me incomodar e os pesadelos também.

O tempo passou, somente o tempo… As coisas foram mudando de nome e de endereço, hoje com uma compreensão maior sobre o nu e as vergonhas, surge um novo despir e com ele novos temores e pesadelos. As vestimentas que usamos para cobrir nosso corpo físico não cobrirão esse novo desnudado.

Meu primeiro medo era de perder minhas roupas. Eu tinha domínio sobre elas, somente eu as perdia. Meu segundo medo, o atual, é do novo despir. Esse eu temo que alguém tire minhas vestes, nesse eu já não tenho o controle, estou à mercê de outros. Embora nos dois casos seja preciso muito conhecimento do meu real eu, tenho esperanças que o foco não seja as vestes e sim a capacidade de não ter o que esconder. Antes eu temia por meu corpo, hoje temo por minha alma.

O que é uma alma despida...? O que seriam as vestes da alma...? O que as roupas cobririam...? O que elas descobririam...? O que são as vergonhas da alma...? Por que as palavras e atitudes nos desnudam...? O que mais nos desnuda a alma...?

Nesse contexto, roupa ganha outro significado. Uma veste que cobre o que palavras e atitudes descobrem. Logo se percebe que não se trata de uma roupa convencional, de tecido como conhecemos, é algo mais sutil, abstrato eu diria. Acredito que todos nós tenhamos essas vestes, e todos nós estamos sujeitos a ficar sem elas, por razões diversas e próprias de cada ser.

Isso explica o porquê de, mesmo cobertos da cabeça aos pés, por vezes nos sentimos despidos diante de certas circunstâncias.

Até aqui, a ideia de termos nossa alma despida soou como algo constrangedor, obsceno, como se tivéssemos vergonha de quem realmente somos, e a qualquer momento alguém ou nossas atitudes pudessem nos descobrir. "Valei-me meu Deus do céu a máscara caiu e o mundo desabou”.

O copo pode estar apenas meio cheio, e o fim do mundo pode não estar próximo, dessa forma se tentarmos analisar o caso por outra perspectiva, podemos perceber que se trata de algo verdadeiramente bom, oportunidade ímpar; como uma bússola, saberemos onde melhorar, onde necessita nossa atenção. Assim de alma lavada e despida viveremos em paz como já é para algumas pessoas.

Algumas pessoas já conseguem viver com suas almas despidas, desprovidas de quaisquer artifícios. Vivem a se encarar frente a frente, em suas lutas de melhoramento pessoal, e de alto conhecimento diário, o que os fazem com certeza mais felizes e mais verdadeiros. Consciente de sua caminhada, vivem de forma mais plena.

Feliz o homem que tem a coragem de despir sua alma.

Feliz seria a humanidade que exaltasse as belezas da alma, em vez de se perder nos ornamentos de suas vestes. 

AnnaLírios 





❤Abraços ❤
❤Paz e Luz!!!✿
✿Anna Lírios✿

10 comentários:

  1. Deliciei-me com seu texto! Uma infância bem semelhante... Mas, minha maturidade soube, felizmente despir minha alma e ser quem eu sou, sem artifícios, transparente e muito verdadeira. Leio muito e indico-lhe um livro que lhe fará muito bem: Alma Imoral, de Nilton Bonder, que trata dos significados de 'corpo' e 'alma' e procura contrapor o conceito de alma imoral do texto bíblico ao animal moral da psicologia evolucionista. Vale a pena ler e meditar sobre o mesmo.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Célia, tudo bem?
      Você muito me alegrou com suas palavras, fico contente que tenha gostado do texto.
      Muito obrigada pelo carinho de me indicar um livro. Irei ler com certeza, já estou curiosa pelo que você falou, acredito que irei gosta muito da leitura.
      Admiro sua coragem de ser transparente e verdadeira, confesso que para mim tem sido uma luta diária o descobri-se, aceitar-se e melhorar-se.
      Um grande abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  2. Como a Célia aqui acima, também achei lindo, maravilhoso esse teu abrir de coração na escrita. E os tempos eram mesmo outros, nada se discutia, apenas se acatava... O despir da alma é uma aprendizado a levar a sério e conquistar.Nos melhora muito! ADOREI! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Chica, tudo bem?
      Me alegro em saber que você gostou. Realmente é uma coquista muito importante para a nosso evolução como pessoa: nos conhecermos, nos aceitarmos e lutarmos (aprendendo com nossos erros) para sermos a cada dia pessoas melhores e mais verdadeiras.
      Um grande abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
    2. Oi Anna,
      Eu sempre fui muito rebelde e inteligente. quando era jovenzinha tinha que ir na missa e quem usava véu branco era virgem e eu sabia que muita não eram. Eu queimei meu véu e casei novinha e fui morar em Santo André.Adotei um filho, trabalhei muito e quando meu pais ficaram doentes eu voltei e já dizendo: sou muito nova, quando achar um homem bom vou me casar com ele e ache e somos os três felizes.
      Êta gênio forte
      Beijos
      Minicontista2

      Excluir
    3. Olá Dorli, tudo bem?
      Muito determinada você. É muito gratificante quando conseguimos por em prática o que acreditamos ser o certo, e mais ainda quando o resultado é positivo. Admiro sua luta e conquista da felicidade.
      Um grande abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  3. Oi Anna!
    que texto bonito e forte, fiquei encantada...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandra, tudo bem?
      Que bom que você gostou do texto, fico contente.
      É sempre muito bom encontrarmos pessoas que conseguem compreender os nossos pensamentos.
      Um grande abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir
  4. Muito lindo seu texto, amei...
    Se acreditamos no que somos, não há o que esconder!
    De nada adiantam as máscaras, que só a nós enganam!
    Muito linda sua afirmação: "Feliz o homem que tem a coragem de despir a sua alma!"
    Felizes dias, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Teresa, tudo bem?
      Seja bem vinda!!! Obrigada pela visita!!!
      Espero lhe ver mais vezes por aqui.(Rsrsrs)
      Fico feliz que tenha gostado do texto.
      Realmente de nada adianta as máscaras, estamos apenas adiando os acontecimentos e acumulando dividas. Que tenhamos forças de sermos cada dia mais verdadeiros, tendo bom ânimo e perseverança na caminhada da vida.
      Um grande abraço!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AnnaLírios

Obrigada por sua visita!!! Volte sempre!!! ❤ Um Abraço ❤ Paz e Luz!!!

Visualizações