quarta-feira, 1 de junho de 2016

Somos os criadores de nós mesmo.



Hoje, acredito que seja um bom dia para escrever, me sinto diferente do habitual, meus pensamentos até parecem que não são meus, estou a sentir coisas que não saberei ao certo como descrever, porém, irei tentar. Não as reconheço como partes de mim, não sei de onde vem tudo isso, não entendo porque estou assim, uma forte vontade de escrever me arrebata, vou tentar de alguma forma registrar o que sinto nesse instante.

A vida é realmente vivida no universo individual de cada ser, é lá que tudo se processa, tudo se cria, ganha forma, sentido, vida e por fim, se liberta para o mundo externo, todas as respostas que buscamos diariamente, porquês, razões e motivos, suas origens estão no mundo das ideias, o mundo real. O mundo físico, material, externo como conhecemos, é apenas um reflexo do que vivemos no mundo real, que é o mundo não físico, imaterial, interno, o mundo das ideias.

É bem provável que, em um fim de tarde choroso e sombrio, onde o céu veste o seu luto, e os poucos sons que escutas é de um cata-vento que ruge em suas ferrugens de esquecimento, aquela antiga cadeira de balanço já sem vigor que grita suportando sua luta, enquanto balança o teu cansado corpo, que carrega um espirito sem saber se este ainda está, ou não, nesse mundo material, onde a brisa fria já te visita, te dando um presságio da noite frias que te espera, um relógio antigo na parede onde você escuta o seu tique taque, como a contar suas horas.

Estais no alpendre de tua casa grande, antiga e solitária, onde outrora viveste tua mocidade, compartilhando tua caminhada sofrida, porém com muitos risos, casa sempre cheia de gritos e sorrisos largos, crianças e animais cresceram juntos na maior euforia, tempos dourados com teus filhos e esposo, os filhos cresceram já são adultos, de tempos em tempos, lhes trazem os netos, perolas preciosas em teu pescoço são os abraços deles, te recordas de teus filhos na terna idades. Seu esposo companheiro de todas as horas, há muitos anos fez sua viajem, deixando grades saudades.

Hoje sua casa é um enorme vácuo, escura e silenciosa, cheira saudades, pura nostalgia, mobília antiga, todas carregada de sentimentos, cada objeto cada canto guarda um pedaço-- tem um pedaço—é um pedaço-- de você, de sua vida. Suas companhias são os pássaros que estão sempre a cantar, nesse momento eles festejam os últimos raios de sol, como um hino sagrado de agradecimento a Deus. Tens um gato medroso, que já está a mia com medo da noite, e um cachorro que está a latir com as sombras que se aproxima.

Seu jardim, suas roseiras e seus jasmim, sempre a perfumar os seus dias. Um grilo cantador, que sempre lhe visita, fazendo uma verdadeira orquestra, aquele som que vai e volta em uma repetição eterna do eco. Eis uma viúva solitária, arrodeada de antigas e profundas lembranças, são tantas recordações ainda viva, que até o vento sussurra em teus ouvidos, te contando histórias que viverdes noutros tempos, a poeira guarda tuas fotos, que retratam os anos dourados e estão espalhadas em todas as paredes.

A noite finalmente caiu, hora de entrar e fechar as portas e janelas, o vento se desespera a correr, não quer ficar ali preso, quer ser livre, prefere ficar com as roseiras cá do lado de fora, os jasmins fiéis a sua cuidadora, espalha seu perfume, aromatizando a casa com seu adorável cheiro, que permanecera até o dia seguinte, quando novamente as portas serão abertas. Seu leal protetor, late, dessa vez, buscando forças para aparentar firmeza e bravura, como quem lhe diz: “Não temas eu estou aqui”.

O gato nessa hora já está deitado esquentando a sua, grande e fria cama, na esperança de amenizar a frieza da noite. Você calmamente janta seu mingau de aveia, se ajeita para dormir, ao deitar com seu gato a chuva cai forte, você faz suas preses enquanto a chuva lá fora só aumenta, ventos fortes, trovoes, cata-vento rangido, cadeira de balanço em um desespero só, as telhas a cantarolar com o som da chuva caindo, os galhos das plantas se debatendo, grilos, sapos, e tantos outros insetos felizes a cantar, o gato se encolhe cada vez mais.

O pobre cachorro que uiva sem parar, chora feito um bebe para entrar em casa, com grande dificuldade você se levanta, vai até a porta e abre uma pequena brecha por onde ele passa correndo feliz a latir lhe agradecendo, você improvisa um cantinho bem quentinha para ele, e volta para sua cama. Você não consegue dormir, em seu mundo mental, agradece a Deus, por tudo que viveu e que vive, se alegra muito em admirar as belezas da natureza e viver em harmonia, hoje se sente mais viva do que nunca, consegue entender muitos das razões e pôr queres, que tanto buscava, desvendou seus mistérios, superou suas amarras, venceu muito de seus temores.

Você é livre, realizada, se sente lucida com seus 100 anos, mesmo com grandes dificuldades ainda ler seus livros favoritos, escreve seus textos e faz a sua sagrada Yoga, ouvindo suas músicas clássicas -- o pancadão da Enya -- que te lembra seu eterno amor, hoje tudo parece ter mais luz, ser mais claro, fazer sentido, a felicidades é quase uma constante, seu munda das ideias nunca esteve tão radiante e cheio de vida, eis feliz e realizada.

Como eu dizia no 3° parágrafo dessa história,É bem provável que, em um fim de tarde choroso e sombrio, onde o céu veste o seu luto...” Em uma realidade onde tudo parece conspirar para o medo que mata, o desanimo que enlouquece, a tristeza que deixa tua alma em profunda depressão e desencanto da vida, a solidão e invisibilidade física, que poderia te prender nas escuras selas do abandono e amofinamento do desejo vital de existir, você consegue não se abater.

Simplesmente você está em outra vibração mental, em outra realidade no mundo das ideias, e o que para uns seria caso de morte para te e motivo de contentamento, o mundo a tua volta não determina o que sentes, o que sentes e o que determina o teu olhar para o mundo físico, não é o que você ver e como ver, como sente, como reage, como age, como vive o que já existe dentro de ti.


O verdadeiro mundo é o mundo das ideias, e não o mundo físico, esse é apenas o reflexo do primeiro. 

O mundo físico é a soma de tudo que há no mundo das ideias. Somos assim criadores dos nossos heróis, igualmente somos criadores de nossos vilões. Criamos tudo, somos criadores de nossas necessidades, vontades e desejos, sonhos medos, desafios, limites e vida.

Anna Lírios


***

Esse texto foi construindo de forma diferente do meu habitual.
 Fui inspirada de forma mais ostensiva, senti uma vontade muito forte de escreve, quasse incontrolável, repentinamente me senti com novo animo, e uma lucidez que eu não reconheci. Peguei lápis e papel e comecei, sem pensar antes, sem ter noção do que iria escrever foi escrevendo e as ideias foram chegando, tive uma certa dificuldades de organizar tudo, de passar para o papel. De certa forma acredito que houve tipo um filtramento do que me foi inspirado.

Anna Lírios



Obs: que fique claro que acredito que somos o que pensamos diariamente, e assim sendo, podemos decidir o que pensar, como agir e em alguns casos direcionar nosso sentir, porem nunca poderemos modificar o outro, isso só cabe a ele próprio. A mudança é sempre de dentro para fora, e assim sendo, somos criadores de nós mesmo não dos outros. Não podemos impedir alguns acontecimentos em nossas vidas, porem podemos decidir como reagir, podemos trabalhar nosso pensar, agir e sentir.


Anna Lírios



Texto e fotos de Anna Lírios

6 comentários:

  1. Têm uma oração que diz mais ou menos assim,me de coragem para mudar o que posso e sabedoria para entender o que não posso mudar, é bem por aí mesmo, as pessoas mudam mas pra isso elas próprias têm que querer e muito, lindo esse post!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Sara Gomes!!!
    Gostei muito da oração, precisamos de coragem e sabedoria todos os dias, para melhor caminharmos.
    Obrigada por sua visita e seu comentário!!!

    ResponderExcluir
  3. Que belíssima página você tem amiga... Que escrita agradável... Parabéns pelos textos... É sempre um prazer poder ler coisas tão enriquecedoras. E, para registrar, também acredito que somos frutos do que pensamos e desejamos... Feliz tarde... Vida feliz!!!

    ResponderExcluir
  4. Bom Dia, Aline Brandt!!!
    É um prazer ter sua amizade, visitei também seu blog, amei seus escritos.
    Obrigada por sua visita e por seu comentário!!!
    Volte sempre!!!
    Paz e Luz!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estarei sempre atenta aos seus escritos... Feliz vida querida... Vida repleta de imaginação...

      Excluir
    2. Obrigada por sua amizade, estarei sempre lhe visitando também!!!
      Paz e Luz!!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AnnaLírios

Obrigada por sua visita!!! Volte sempre!!! ❤ Um Abraço ❤ Paz e Luz!!!

Visualizações